Em véspera de feriado, CPI realiza reunião administrativa

O ex-diretor do Banco do Brasil, Expedito Alonso, envolvido na tentativa de compra do dossiê negociado para comprometer candidatos tucanos durante a campanha eleitoral, vai depor na CPI dos Sanguessugas somente na quarta-feira da próxima semana, dia 22. Hoje, às 15 horas, a CPI deverá ter apenas uma reunião administrativa para votar requerimentos.Segundo informações do Senado, existem 206 requerimentos aguardando decisão da CPI, dos quais 113 convocam ou convidam pessoas para depor. Entre eles está o da senadora Heloísa Helena (PSOL-AL), que convoca o procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, para que ele esclareça as investigações que o Ministério Público e a própria Procuradoria Geral da República estão realizando sobre a atuação da máfia das ambulâncias.A CPI dos Sanguessugas deverá ainda votar requerimentos pedindo a quebra de sigilos fiscal, bancário ou telefônico de pessoas ou empresas que tenham seu envolvimento com a máfia das ambulâncias apontado pelas investigações.De acordo com a programação da CPI, os depoimentos do caso começarão na terça-feira da próxima semana, dia 21, quando deverão ser ouvidos o petista Valdebran Padilha da Silva, Jorge Lorenzetti, ex-integrante da campanha de reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o advogado e ex-policial, Gedimar Pereira Passos.Expedito Veloso e o ex-integrante do Comitê de Campanha do presidente Lula, Osvaldo Bargas, vão depor na quarta, dia 22.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.