Em 'tuitaço', antipetista Silas Malafaia apoia Marina

Em 'tuitaço', antipetista Silas Malafaia apoia Marina

"O PT é especialista em destruir reputações,mas não conseguiu com Marina #MARINAresistentevaiserPRESIDENTE", escreveu o religioso

JOSÉ ROBERTO CASTRO, Estadão Conteúdo

25 de setembro de 2014 | 15h20

O presidente do Conselho de Pastores do Brasil, Silas Malafaia, declarou apoio a Marina Silva em um ''tuitaço'' que começou ao meio-dia desta quinta-feira, 25. Malafaia, que tem se posicionado como oposição ao PT, havia declarado apoio a Pastor Everaldo, candidato do PSC que tem 1% das intenções de voto, segundo a última pesquisa Ibope/Estadão/Rede Globo. "O PT é especialista em destruir reputações,mas não conseguiu com Marina #MARINAresistentevaiserPRESIDENTE", escreveu o religioso em um dos quase 40 tuítes sobre o tema postados no início desta tarde.

Em outra mensagem, Malafaia escreveu que "essa bandidagem que está acabando com o Brasil, em nome de Jesus, está com seus dias contados". Desde o início da campanha, Malafaia vem criticando duramente o PT. Com a ajuda de Malafaia e seus seguidores, o nome de Marina Silva foi citado 1.406 por 932 usuários distintos, segundo a ferramenta Ibope Redes Sociais.

O apoio de Malafaia vem menos de um mês depois de ele se envolver em uma polêmica com a candidata do PSB. Após a divulgação do programa de governo que continha propostas que agradaram ao público LGBT, Malafaia usou o Twitter para ameaçar Marina. "Aguardo até segunda uma posição de Marina. Se isso não acontecer, na terça será a mais dura fala que já dei até hoje sobre um presidenciável", escreveu o pastor no dia 29. No dia seguinte, o PSB divulgou uma correção, mas Marina disse que não se sentia pressionada.

Há cerca de dez dias, Malafaia já havia saído em defesa de Marina quando ela foi ameaçada pelo líder do MST João Pedro Stédille, que disse que se ela inventasse de colocar a mão na Petrobras, haveria protesto todo dia.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesMarina silvaSilas Malafaia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.