Em SP, Guerra faz discursos opostos sobre PSDB-DEM

O senador Sérgio Guerra, presidente nacional do PSDB, deixou um rastro de irritação no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, depois que manifestou duas opiniões diametralmente opostas na terça-feira. Ao governador José Serra (PSDB) e ao secretário de Relações Institucionais, José Henrique Lobo, Guerra incentivou as tentativas de conciliação entre as candidaturas do prefeito Gilberto Kassab (DEM) e do ex-governador Geraldo Alckmin à Prefeitura de São Paulo - mais que isso, elogiou os esforços para preservar a aliança PSDB-DEM. Do lado de fora, disse à imprensa que a conciliação estava liquidada e a candidatura de Alckmin era inquestionável.?Haverá dois candidatos. Não estou mais apostando na conciliação?, disse Guerra à imprensa na oportunidade. A declaração causou surpresa, até mesmo porque Guerra está apoiando o candidato do DEM à Prefeitura do Recife, em Pernambuco, seu Estado. Para aquecer o clima quase hostil entre as duas alas, aliados de Alckmin marcaram um ato de apoio a sua candidatura para hoje e simpatizantes de Kassab marcaram outro para sábado. A manifestação pró-Alckmin foi marcada para um evento em que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso - que já se manifestou favoravelmente à candidatura de Kassab - fará uma palestra, em evento do partido.A disputa entre Alckmin e Kassab joga uma forte pressão sobre Serra, figura máxima do PSDB em São Paulo. Além disso, assessores de Serra estão irritados com a intransigência de Alckmin ao resistir à abertura de negociações francas sobre uma possível conciliação. Do outro lado, Kassab e o ex-senador e ex-presidente do DEM Jorge Bornhausen estão cuidando de não fechar portas a um acordo e, dessa forma, facilitar as coisas para o governador paulista. Bornhausen esteve em São Paulo ontem e confirmou que o DEM está aberto à conciliação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.