Em SP, Dilma repudia agressão contra Serra

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, repudiou a agressão ao adversário José Serra (PSDB) e recomendou à militância do PT que não aceite provocações. "Não aceito campanha manipuladora nem violência", disse hoje à tarde, no heliponto de uma empresa de Ferraz de Vasconcelos, município da região metropolitana de São Paulo. "Quero fazer um apelo à militância do PT. Peço aqui que a militância se paute pelo princípio da fraternidade, da solidariedade e que, sobretudo, faça dessa campanha um ato de amor."

ANNE WARTH, Agência Estado

20 de outubro de 2010 | 19h25

Dilma afirmou que a militância deve dar o exemplo e evitar manifestações como a ocorrida hoje envolvendo Serra, atingido na cabeça por um objeto durante caminhada em Campo Grande, bairro do Rio de Janeiro, quando houve tumulto entre cabos eleitorais tucanos e militantes petistas.

"Quero dizer a vocês, mais uma vez, que lamento o ocorrido", disse a petista. "Da minha parte, podem ter certeza, que pautarei todos os meus atos. Não faço campanha do submundo, não divulgo panfletos apócrifos e não divulgo mentiras."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.