Em solenidade, deputados 'rasgam' elogios a Lula

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e os deputados federais Simão Sessim (PP-RJ) e Eduardo da Fonte (PP-PE) fizeram rasgados elogios ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em solenidade no plenário da Casa. Sob intensos aplausos, ao contrário das homenagens contidas no Senado, Lula recebeu a medalha da "Suprema Distinção". Lula praticamente não acompanhou os discursos, sendo toda a hora acionado na Mesa da Câmara para tirar fotos e ser cumprimentado por parlamentares e cidadãos.

RICARDO BRITO, DAIENE CARDOSO E RICARDO DELLA COLETTA, Agência Estado

29 Outubro 2013 | 16h56

A honraria, criada em 2002, é concedida a "soberanos, chefes de Estado, ao presidente do Senado Federal, ao presidente da República, ao presidente do Supremo Tribunal Federal e a altas personalidades estrangeiras e nacionais que, pelos serviços relevantes realizados em sua atuação pública, tenham-se tornado merecedores de especial reconhecimento".

O presidente da Câmara disse que, durante o mandato de Lula, entre 2003 e 2010, "os brasileiros perderam o complexo de inferioridade". "O Brasil passou a ser visto na imprensa internacional como uma nação séria e moderna", completou. Os deputados Simão Sessim (PP-RJ) e Eduardo da Fonte (PP-PE), autores do pedido de homenagem a Lula, também fizeram elogios ao ex-presidente. Sessim disse que vive um dos "momentos inesquecíveis" na sua trajetória de 40 anos de vida pública.

"Sua atuação à frente do governo foi fundamental. A nação brasileira e o mundo assistiram ao nascimento de um grande estadista, aquele que subordina um interesse político à sua prática política", afirmou Sessim. Ele considerou a "maior obra" de Lula o resgate da pobreza de mais de 50 milhões de "irmãos brasileiros". "Obrigado presidente Lula por tudo o que o senhor realizou", disse da Fonte.

O líder do PT na Câmara, José Guimarães (CE), disse que, com essa decisão, a Câmara homenageia o "povo brasileiro". "Lula tem dedicado a sua vida sobre as formas de se enfrentar a vida", afirmou. O petista comparou Lula a Antônio Conselheiro, o líder da Guerra de Canudos (1896 e 1897). Ele citou o "espírito revolucionário" quando fundou o Partido dos Trabalhadores. "Nós devemos muito ao presidente Lula, nós te amamos, nós gostamos de você e do compromisso que você tem com o PT", disse o líder da bancada. "Você é âncora da democracia", afirmou. Após as falas, o presidente da Câmara ainda fez uma brincadeira com Lula: "Vossa excelência bateu o recorde, foi o único homenageado que não ficou sentado um minuto sequer".

Mais conteúdo sobre:
LulaCongressodeputados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.