Em SC, Serra diz que vai priorizar demandas regionais

Em sua passagem pela cidade de Chapecó, distante cerca de 500 quilômetros da capital Florianópolis no Oeste de Santa Catarina, o candidato a Presidência da República pelo PSDB, José Serra cumpriu extensa agenda. Após conceder entrevista a uma emissora de rádio local, o presidenciável encontrou dificuldades para fazer uma caminhada por cerca de 800 metros, devido grande público que se concentrava no trajeto, e optou pelo embarque no carro de som.

EDU VIAL, Agência Estado

09 de outubro de 2010 | 15h43

Tanto nas declarações à imprensa como em sua manifestação, o tucano preferiu manter tom de cautela, evitando ataques à sua concorrente Dilma Rousseff (PT). Em relação às declarações do presidente Lula (PT) de que priorizar o assunto aborto seria "baixar o nível da campanha", assessoria do presidenciável José Serra declarou que "o candidato (Serra) não vai entrar em picuinhas".

Durante entrevista coletiva, Serra afirmou que, caso eleito, deverá priorizar sua ações nas demandas regionais. No caso da região Oeste de Santa Catarina, está a duplicação da BR 282, que liga a fronteira com Argentina ao litoral. Sobre insinuações da candidata Dilma Rousseff (PT), na sexta-feira (08/10/10), de que supostos boatos advindos por parte do dele, teriam contribuído na queda de ações da Petrobrás na Bolsa de Valores, Serra demonstrou indignação e foi enfático: "Isso é uma coisa delirante".

Já no discurso num palanque montado em frente a catedral da Igreja Católica, José Serra fez questão de apontar que deverá pautar seus confrontos com a concorrente Dilma, apontando valores e princípios: "Os meus que sigo desde criança são a verdade, honestidade, democracia com total liberdade de imprensa, solidariedade e justiça". Ele fez questão de, após enumerar cada item, detalhar um por um.

Por exatos 20 minutos, a plateia, sob escaldante sol, ouviu atentamente as propostas de governo. Ele lembrou que obteve cerca de 250 mil votos a mais que Dilma em Santa Catarina, situação que o fez retornar ao Estado. Em Chapecó, Serra obteve menor número de votos que a petista. Ele adiantou que já obteve apoio para este segundo turno de 12 dos 16 deputados federais eleitos, além do atual governador Leonel Pavan (PSDB), do governador eleito Raimundo Colombo (DEM), dos senadores eleitos Luiz Henrique da Silveira (PMDB) e Paulo Bauer (PSDB). Revelou ainda que obteve declaração de apoio e voto de Ângela Amim (PP), candidata a governadora Barriga Verde derrotada nas urnas. De acordo com o deputado federal eleito, João Rodrigues (DEM), o PV de Chapecó já teria anunciado apoio a Serra, que fez questão de reafirmar diversas vezes: "Vou governar para o povo e não pra partidos".

José Serra embarcou no aeroporto de Chapecó em aeronave fretada, por volta das 15h00, em direção ao município de Blumenau, onde participa da tradicional festa da cultura alemã, Oktoberfest.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010José SerraChapecó

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.