Em São Paulo, ameaça maior da dengue está na zona oeste

A ameaça da dengue para este verão está bem perto da capital paulista. Os municípios de Jandira e Itapevi, na região oeste da Grande São Paulo, são os mais atingidos pela doença. Para evitar uma epidemia, equipes de agentes de controle da dengue foram ampliadas nesses locais.Desde o começo do ano, Jandira registrou 200 casos suspeitos de dengue. Desses, cerca de 20 estão confirmados. Segundo dados preliminares da Secretaria de Estado da Saúde, o município teve 556 casos confirmados de dengue no ano passado. Em 2001, foram apenas 2. Itapevi fechou 2002 com 446 casos confirmados; em 2001, o município teve só um caso. Os dados correspondem aos casos chamados autóctones, ou seja, transmitidos no município.Na capital paulista, a dengue se mantém controlada. Nenhum caso da doença foi registrado neste ano. A cidade fechou 2002 com 2.210 casos confirmados - 429 casos autóctones e 1.781 importados. As ações de controle da Prefeitura continuam: 1.121 agentes de zoonoses fazem visitas de casa em casa, orientando a população."Insistimos na mensagem de que as pessoas não devem ter mosquito em casa", diz Pedro Bonequini Júnior, gerente do Projeto de Combate à Dengue de São Paulo. Também estão sob controle as regiões de Campinas e Baixada Santista. No ano passado, essas foram as áreas com os maiores números da doença."Aumentamos o efetivo de equipes trabalhando com dengue em 50% na Baixada Santista", diz Luiz Jacintho da Silva, superintendente da Superintendência de Controle de Endemias de São Paulo (Sucen).Em Campinas, há um surto de dengue na periferia da cidade. "Mas está sob controle", diz Silva. Lá, as equipes também foram reforçadas. "Estamos melhor do que no ano passado, quando nesta época já tínhamos maior transmissão da doença no Estado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.