Em Salvador, candidatos apelam a imagens de Lula e Jaques Wagner

A utilização de imagens do presidenteLuiz Inácio Lula da Silva e do governador Jaques Wagner (PT)foi farta no primeiro dia do horário eleitoral gratuito na TVdedicado aos candidatos a prefeito de Salvador. Situados em terceiro e quarto lugar nas pesquisas, PMDB ePT mantiveram a disputa que vêm travando nos dois últimos mesespara "colar" seus postulantes ao Palácio Thomé de Souza, sededo governo municipal, à imagem do presidente da República. A abertura de cada programa foi dedicada à apresentação dosrespectivos candidatos, com uso de depoimentos elogiosos defamiliares. Todos citaram suas origens e prometeram umaadministração voltada para a parcela mais carente da população. Apenas os candidatos João Henrique (PMDB), que tenta areeleição, e Antonio Imbassahy (PSDB) não utilizaram imagens oudepoimentos de familiares, nem buscaram apresentarem-se como de"origem humilde". O programa de Walter Pinheiro (PT), com tempo de 7 minutose 18 segundos, dedicou a abertura ao compositor Dorival Caymmi,que morreu no sábado. Apesar da aparente cordialidade, neste primeiro momento agrande disputa acontece entre o atual prefeito (terceirocolocado nas pesquisas, com 16 por cento) e seu antecessor, ocandidato tucano (segundo lugar, com 25 por cento). Com tempo de 9 minutos e 27 segundos de programa, o maiorno horário eleitoral gratuito em Salvador, o prefeito JoãoHenrique partiu para o ataque e, sem citar nomes, questionou acompetência de candidatos ligados a grupos políticos quetradicionalmente governaram a Bahia e Salvador, numa clarareferência a Antonio Imbassahy, que foi prefeito por doismandatos pelo então PFL, e a ACM Neto, hoje candidato pelo DEMe herdeiro político do carlismo. Além de ostentar sua relação com o governo federal e deapresentar imagens de arquivo ao lado do presidente Lula, JoãoHenrique também expôs imagens de nove ministros de Estado,afirmando contar com o apoio de todos eles para administrarSalvador. O ministro Gedel Vieira Lima (Integração), do PMDB, faloudas obras que estão sendo realizadas na capital baiana egarantiu que "tudo mudou para melhor em Salvador desde que oprefeito ingressou no PMDB, partido que lhe abriu as portas dogoverno Lula". Liderando as pesquisas com 31 por cento, o candidato doDEM, ACM Neto foi apresentado como um político de carreirarápida e que conhece os caminhos de Brasília, com imagens desua atuação no Congresso Nacional. Nos 5 minutos e 42 segundos, fez referências à diversidadereligiosa da Bahia e usou depoimentos de familiares, do senadorMarco Maciel (DEM-PE) e de seu avô ACM, falecido há um ano. Imbassahy apresentou um programa bem elaborado, com jingleanimado e que explora sua experiência com os dois mandatos queexerceu em Salvador. Seu slogan é "Testado e aprovado" e otempo é de 5 minutos e 26 segundos. A coligação Frente de Esquerda Socialista, com HiltonCoelho, utilizou seu tempo de dois minutos e sete segundos paraalertar ao telespectador que "acabara de assistir aoscandidatos que sempre governaram Salvador". Em seguida, exibiu imagens com a logomarca de diversasempresas que atuam na cidade nas áreas de construção civil e delimpeza pública. Nos últimos segundos, o candidato HiltonCoelho apareceu no vídeo afirmando que nos próximos programas"a população vai saber quem é a esquerda verdadeira". Salvador, terceira maior cidade do Brasil, reúne quase 3milhões de habitantes e 1,74 milhão de eleitores. Os cincocandidatos que disputam a prefeitura arrastam consigo 901postulantes às 41 vagas no Legislativo municipal. Eles foram apresentados no programa eleitoral desegunda-feira e já abriram uma nova guerra entre as coligações,que se acusam mutuamente de utilizar o dia destinado aosvereadores para inserir imagens dos candidatos a prefeito. (Reportagem de Augusto Cesar Barrocas)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.