Em reunião com Dilma, governadores reclamam dos gastos públicos

Gestores criticaram propostas do governo federal que aumentam despesas para os estados

Ricardo Brito, da Agência Estado

15 Junho 2012 | 14h36

BRASÍLIA - Os 23 governadores e 4 vice-governadores reclamaram nesta sexta-feira, 15, durante reunião com a presidente Dilma Rousseff, da pressão nos gastos públicos diante de medidas tomadas pelo governo federal que têm aumentado despesas para os estados e o Distrito Federal.

 

A título de exemplo, o vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos (DEM), citou o aumento salarial para categorias, como a dos professores, e um projeto que discute vincular até 2% da Receita Líquida Estadual para garantir a autonomia financeira e orçamentária das Defensorias Públicas dos Estados. A proposta, já aprovada pelo Senado, está agora na Câmara dos Deputados.

 

Na avaliação dos governadores, as propostas dificultam o enfrentamento de reveses na economia por causa da crise econômica internacional. "Os governadores têm que estar atentos porque depois têm que pagar a conta e não tem dinheiro", afirmou Afif Domingos.

 

Crédito. Durante o encontro, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o governo federal criou uma linha especial de credito chamada Pró-investe. Essa linha terá R$ 20 bilhões, "a maior linha que já foi criada para os Estados brasileiros".

Mais conteúdo sobre:
dilmagovernadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.