Em reduto malufista, Marta promete acabar com taxa do motoboy

A prefeita Marta Suplicy (PT) fez corpo-a-corpo hoje na Vila Maria, tradicional reduto do malufismo, e anunciou o fim da taxa do motoboy - uma promessa de Paulo Maluf durante a campanha do primeiro turno. "Acabamos com a taxa de motoboy em São Paulo", declarou Marta, à saída da churrascaria Laçador, onde almoçou com 40 militantes e dirigentes do partido.Marta explicou que uma avaliação da equipe técnica da Prefeitura constatou aumento de 12% na arrecadação de ISS, suficiente para cobrir a receita prevista de R$ 1 milhão com a taxa que seria cobrada de 80 mil motoboys. Ela ressaltou, porém, que a regularização e o cadastramento desses profissionais serão mantidos.A prefeita fez caminhada pela principal avenida do bairro, a Guilherme Cotching, acompanhada do presidente nacional do PT, José Genoino. Reforçaram a comitiva o ex-marido de Marta, Eduardo Suplicy, e o filho Supla. Depois, ela fez corpo-a-corpo na Vila Ede e na Vila Sabrina e voltou a atacar seu oponente, José Serra (PSDB), a quem atribuiu responsabilidade pelo "abandono" da rede pública de saúde.Marta também disse que, em dois anos, poderá acabar com a taxa de iluminação. "A taxa existe especificamente para colocar pontos de luz na cidade", explicou. "Já fizemos 15 mil, faltam 25 mil e falta trocar as lâmpadas de mercúrio. Quando isso for feito aí não vamos mais cobrar (a taxa de iluminação)."A prefeita fez mais críticas a Serra ao dizer que não pode extinguir a taxa do lixo. "O lixo é um serviço contínuo, não tem como a Prefeitura abdicar. A população deve entender. Essa taxa vai possibilitar à Prefeitura arrumar os aterros da cidade e evitar o apagão do lixo. Foi a imprevidência do governo José Serra que levou todos nós a sofrermos (com o apagão da luz)".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.