Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Em rede social, Maradona se diz um 'soldado de Lula e Dilma'

Ex-jogador argentino publicou uma foto segurando uma camisa da seleção brasileira com o nome de Lula e o número 18

O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2016 | 16h22

SÃO PAULO - O argentino Diego Maradona publicou uma foto em seu perfil do Facebook segurando uma camisa da seleção brasileira com o nome de Lula e o número 18, o que pode ser uma referência às eleições presidenciais de 2018. O ex-jogador afirmou, em espanhol, italiano e inglês, ser "um soldado de Lula e Dilma". 

Pouco mais de três horas após a publicação, a foto somava mais de 30 mil curtidas - incluindo a da presidente afastada Dilma Rousseff -, 8 mil compartilhamentos e 2,7 mil comentários.

Maradona, conhecido por sua posição política de esquerda, já tinha enviado uma mensagem de apoio a Dilma em dezembro.

O governo do presidente argentino Mauricio Macri reconheceu por meio de nota as “novas autoridades instituídas” no Brasil minutos após a votação da admissibilidade do processo de impeachment no Senado que levou Michel Temer ao posto de presidente em exercício. A rapidez com que a Casa Rosada emitiu a declaração foi criticada pela oposição peronista e por alguns aliados de Macri. Outros países da América Latina, como a Venezuela e El Salvador, não reconheceram o governo interino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.