Em programa de TV, PSDB defende parlamentarismo e reconhece fisiologismo

No vídeo encomendado por Tasso Jereissati, narração diz várias vezes que partido 'errou'

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

17 Agosto 2017 | 15h37

O PSDB leva ao ar nessa quinta-feira, 17, um vídeo de 10 minutos no qual faz tanto críticas indiretas ao governo Michel Temer quanto uma “autocrítica” por ter “aceitado o fisiologismo”, além de defender com vigor a adoção do parlamentarismo.

O discurso do partido também prega que é preciso “lutar contra demonstrações de ódio, rancor e intolerância” e diz que não há um “salvador da pátria” para resolver os problemas que o País enfrenta. 

“O presidencialismo de cooptação que vigora no Brasil faliu, tendo gerado crises sucessivas e muita instabilidade política”, disse um locutor, sem citar que o PSDB ocupa quatro ministérios, cujos titulares atuaram nos bastidores para garimpar votos para barrar na Câmara a denúncia da Procuradoria-Geral da República  (PGR) contra Temer. 

Ao justificar a defesa do parlamentarismo, os tucanos dizem que a proposta consta do manifesto de fundação da legenda, em 1988, sendo portanto “uma bandeira histórica”. 

Nenhum político apareceu no programa, que foi encomendado pelo presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE). A linha foi definida por ele sem consultar a executiva nacional tucana, que fez críticas ao conteúdo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.