André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Em posse, Temer diz que Serraglio terá trabalho 'pesadíssimo' na Justiça

Peemedebista Osmar Serraglio substitui Alexandre de Moraes, indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF)

André Ítalo Rocha, Tânia Monteiro e Daniel Weterman, O Estado de S. Paulo

07 Março 2017 | 17h35

São Paulo - O presidente Michel Temer (PMDB) afirmou que o novo ministro da Justiça e da Segurança Pública, Osmar Serraglio, vai ter um trabalho "pesadíssimo" no âmbito da Segurança Pública nacional, durante a cerimônia de posse no Palácio do Planalto. Serraglio substitui Alexandre de Moraes, indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF). Temer empossou também Aloysio Nunes no Ministério das Relações Exteriores, no lugar de José Serra, que pediu demissão.

"Você terá, como teve o Alexandre (de Moraes), um trabalho pesadíssimo, não haverá sábado, domingo, não quero assustar a família, mas, na verdade, é assim que as coisas se passam", disse o presidente quando se dirigiu a Serraglio.

Para Temer, o novo ministro enfrentará desafios por causa da "ousadia" do governo federal em investir na segurança pública e ajudar os Estados. "Vai enfrentar desafios? Não tenho a menor dúvida, principalmente agora que o governo federal resolveu assumir o tema que eu não chamaria de segurança pública, mas eu chamaria, isso nasceu no tempo do Alexandre (de Moraes), um tema de segurança pública que ultrapassa as fronteiras terrestres e as fronteiras jurídicas dos Estados membros da federação", disse o presidente.

Temer destacou que no último ano o governo investiu cerca de R$ 900 milhões para construção de cinco penitenciárias federais e 25 estaduais. O presidente citou que, em 2014, a verba destinada a essas obras foram de R$ 45 milhões e, em 2015, R$ 54 milhões. "Estamos entrando nessa história com a coragem e a consciência de que essa matéria aflige toda a nação brasileira", afirmou.

O presidente lembrou que a União ajudou Estados quando houve "desafios à lei e à ordem" com o uso da Força Nacional e das Forças Armadas no Rio de Janeiro, Amazonas, Rio Grande do Norte e no Espírito Santo.

"Ele (Serraglio) tem uma trajetória que o habilita plenamente para a função", disse Temer quando se referiu ao novo ministro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.