Em Porto Alegue, Lula faz críticas ao Fórum de Davos

Em sua última participação no Fórum Social Mundial realizado no seu governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não conseguiu disfarçar mudanças nítidas no discurso do início do mandato e as divergências que se acentuaram com setores da esquerda nos últimos anos.

LEONENCIO NOSSA E SANDRA HAHN, Agencia Estado

26 de janeiro de 2010 | 23h37

Em janeiro de 2003, nos primeiros dias no governo, ele disse a pensadores, estudantes e "bichos grilos" num teatro aberto nas margens do Rio Guaíba que o ex-presidente Fernando Collor tinha perdido o mandato em 1992 por "roubalheira", prometeu que os pobres não morreriam mais nas filas de hospital e avaliou que faria "o governo mais honesto que já houve na história deste País".

Lula afirmou que, depois de dez anos de criação, o Fórum continua "intacto". Para quebrar o gelo, fez críticas ao Fórum Econômico de Davos, onde estará na próxima quinta-feira. "Tenho consciência de que Davos não tem mais o glamour que eles achavam que tinha em 2003", afirmou. Cerca de sete mil pessoas estiveram no Gigantinho. Muitos participantes não esperaram o presidente terminar o discurso e deixaram o ginásio antes.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaFórum Social

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.