DIDA SAMPAIO/ESTADAO
DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Em Pernambuco, PTB, PSDB e DEM sobem juntos no palanque

Ato dos petebistas em Recife é criticado pelo PT, antigo aliado

Anderson Bandeira, especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2017 | 16h34

Recife – Os ministros da Educação, Mendonça Filho (DEM-PE), de Minas e Energia, Fernando Filho (sem partido-PE), e o ex-ministro das Cidades Bruno Araújo (PSDB-PE) celebraram uma aliança com o senador e ex-ministro da presidente cassada Dilma Rousseff Armando Monteiro Neto (PTB-PE) em ato político realizado na capital pernambucana na segunda-feira, 11.

O ato simbolizou lançamento de uma frente para se contrapor ao governo do Estado, hoje comandado pelo Paulo Câmara (PSB). No Estado, o movimento entre Armando e os aliados de Temer não foi bem visto pelos antigos aliados do senador petebista. A aliança foi criticada pela ala do PT local e de movimentos sindicais.

+++ PT já espera queda de 43% das candidaturas em SP

+++ PMDB já busca alianças com petistas em 8 Estados

“Esse aliança é dos que apoiaram o golpe e dos que após Temer assumir estão apoiando as reformas que atinge os trabalhadores”, disse o presidente da CUT-PE, Carlos Veras.

Ex-vice-líder do governo Dilma na Câmara, deputado Silvio Costa (Avante-PE), conhecido pela defesa contundente dos governos petistas, defende que Armando não fique no palanque ligado ao Governo Federal. Aliado de Armando e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Silvio mira candidatura ao senador com apoio do PT e sonha com uma aliança da esquerda que lance Armando candidato ao governo de Pernambuco com a bênção de Lula.

+++ Para Gilmar, atos antecipados de campanha de Lula e Bolsonaro podem levar à condenação

Nas últimas eleições para o Governo de Pernambuco, PTB e PT estiveram juntos. O desastre eleitoral, no entanto, fez com que petistas no Estado revissem a estratégia para essa eleição. Hoje, existe a possibilidade de o PT marchar com o PSB, outro partido que foi decisivo no impeachment de Dilma. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.