Divulgação
Divulgação

Em Nova York, Temer rebate crítica de que faxina foi incompleta

Vice-presidente diz que não se pode fazer governo com vassoura na mão

Luciana Xavier, correspondente de O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2011 | 16h24

NOVA YORK - O vice-presidente da República, Michel Temer, rebateu nesta terça-feira, 27, as críticas de que a presidente Dilma Rousseff fez uma faxina incompleta nos setores do governo envolvidos em denúncias de corrupção, irregularidades e mau uso do dinheiro público. "Você não pode fazer um governo com a vassoura na mão. As decisões foram tomadas e o governo segue adiante", disse Temer a jornalistas, após discursar durante um almoço promovido pelo Conselho das Américas e Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, em Nova York.

Temer afirmou que mudança em ministérios "é algo mais do que natural". "Mas a administração não reduziu a atividade por causa dessas mudanças". Segundo o vice-presidente, não existe risco de uma crise institucional no País devido às denúncias envolvendo os ministérios. "Não há fatores que possam abalar a Presidência da República."

O vice-presidente disse ainda que a relação do governo com o PMDB vai muito bem e afirmou estar confiante em relação ao desempenho do PMDB nas eleições municipais de 2012 justamente por causa do sucesso do apoio do PMDB ao governo.

Mais conteúdo sobre:
críticasvassouraMichel Temer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.