Em nova troca de diplomatas, Lula premia Viegas

Em uma nova ciranda nos postos do Itamaraty no exterior, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva premiou pela segunda vez seu ex-ministro da Defesa José Viegas, pivô de um período de tensão na área militar e de críticas veladas ao Palácio do Planalto ao deixar o governo, em novembro de 2004. Embaixador em Madri desde 2005 - o primeiro prêmio -, Viegas assumirá no começo de 2009 o Palácio Pamphili, construção do século 17 que sedia a Embaixada em Roma. Para seu atual posto foi escalado o embaixador Paulo César de Oliveira Campos, que, ao longo de quase seis anos no cerimonial do Palácio do Planalto, converteu-se em um homem de confiança do casal Lula da Silva.O chanceler Celso Amorim deverá completar a sua equipe em Brasília para o período final do governo Lula. Ele decidiu chamar para a Subsecretaria de Assuntos Políticos 1, responsável pelo relacionamento com o mundo desenvolvido, a embaixadora Vera Machado, que ocupa a representação no Vaticano.O atual subsecretário, Everton Vargas, seguirá para Berlim. Ele foi o responsável pela organização da maior operação de resgate de brasileiros de uma zona de conflito no exterior - no Líbano, em agosto de 2006. Da Alemanha, o embaixador Luiz Felipe de Seixas Correa, que foi secretário-geral do Itamaraty no governo Fernando Henrique Cardoso e um dos articuladores, em 2003, da formação do G-20, assumirá a posição deixada por Vera no Vaticano.O destino do atual ocupante do Palácio Pamphili, Adhemar Bahadian, ainda é incerto. Para a chefia do cerimonial do Planalto será confirmado o ministro Marcos Rapozo, que há meses atua ao lado de Paulo César de Oliveira. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.