Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Em nota, Temer nega ter acionado Abin para investigar Fachin

Palácio do Planalto reage à informação publicada pelo site da revista Veja de que agência estaria monitorando os passos do ministro do STF

Carla Araújo e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2017 | 23h01

BRASÍLIA - a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República divulgou nota oficial nesta noite de sexta-feira, 9, para negar que o presidente Michel Temer tenha acionado a Agencia Brasileira de Inteligência (Abin) para investigar a vida do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, conforme divulgado pela revista Veja. Segundo a assessoria do Planalto, Temer "jamais" acionou a agência com essa finalidade. 

Fachin homologou delação de executivos da JBS que resultou na abertura de inquérito no STF para investigar se Temer praticou crimes de corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça.

"O governo não usa a máquina pública contra os cidadãos brasileiros, muito menos fará qualquer tipo de ação que não respeite aos estritos ditames da lei", diz o texto. 

A nota acrescenta que "a Abin é órgão que cumpre suas funções seguindo os princípios do Estado de Direito, sem instrumentalização e nos limites da lei que regem seus serviços". 

O governo reiterou que "não há, nem houve, em momento algum a intenção do governo de combater a operação Lava Jato", conclui o texto.  

Veja a íntegra da nota: 

Nota à imprensa

O presidente Michel Temer jamais “acionou” a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para investigar a vida do Ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, como publicado hoje pelo site da revista Veja. O governo não usa a máquina pública contra os cidadãos brasileiros, muito menos fará qualquer tipo de ação que não respeite aos estritos ditames da lei.

A Abin é órgão que cumpre suas funções seguindo os princípios do Estado de Direito, sem instrumentalização e nos limites da lei que regem seus serviços.

Reitera-se que não há, nem houve, em momento algum a intenção do governo de combater a operação Lava Jato.

Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.