Em nota, Serra nega ligação com procurador

O presidente do PSDB, José Serra, divulgou no início da noite nota na qual desafia "quem quer que seja a provar qualquer envolvimento" dele com a ação que o Ministério Público vem realizando sobre denúncias envolvendo o ex-assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz. A nota é uma resposta à líder do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), que, hoje, em pronunciamento da tribuna, insinuou que o subprocurador-geral da República José Roberto Santoro que teria ligações com Serra. Santoro, segundo fita de aúdio divulgada no "Jornal Nacional" da TV Globo, tentou obter do bicheiro Carlinhos Cachoeira a fita original em que Waldomiro Diniz aparece pedindo propina. Ao fazer a insinuação, Salvatti recorreu a um discurso feito em 2002 pelo atual presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), no qual, citando matérias de jornal, o senador mencionou uma conexão entre Santoro e Serra. Na nota, Serra defende a criação de uma CPI para investigar as atividades de Waldomiro Diniz no período em que atuou no Palácio do Planalto. "Desafio a senadora a apoiar a realização da CPI, que até agora ela tem ajudado a evitar, a fim de que todos esses assuntos possam ser investigados", afirma sem citar Salvatti nominalmente. "Ao contrário do que se procura difundir, o procurador da República José Roberto Santoro nunca foi meu subordinado no Ministério da Saúde", afirma Serra. Ele diz que, em setembro de 2000, Santoro, juntamente com outros dois procuradores, foi indicado pelo então procurador-geral da República Geraldo Brindeiro para fazer parte do Grupo de Acompanhamento de Responsabilização, com a incumbência de apurar reclamações, fraudes e outras irregularidades apontadas pelos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS)."Até então, eu não conhecia nenhum dos procuradores indicados pelo Dr. Brindeiro", diz Serra por meio da nota. "No desempenho dessas funções da Procuradoria, (eles) prestaram relevantes serviços, quer desbaratando esquemas de fraudes nos atendimentos do SUS, quer coibindo atuações irregulares de grupos lobbistas em Brasília". Em seguida, Serra acusa: "O PT está se comportando diante das dificuldades como previmos: procurando bodes expiatórios e elevando as tensões". Serra lembra, ainda, que quem nomeou Waldomiro Diniz para um cargo foi José Dirceu e quem pediu propina a Carlos Cachoeira foi Waldomiro. TV mostra fita em que subprocurador conversa com bicheiro sobre Waldomiro MP investigará subprocurador que conversou com bicheiro PSDB usa fita do subprocurador como argumento a mais para criar a CPI do caso Waldomiro CPI é luta política, diz o Professor Luizinho Ministro da Justiça reúne assessores para discutir o caso da fita Senador Tuma estranha atitude do subprocurador Lula diz que conversa do subprocurador é "fato muito grave" Para deputados tucanos, atitude do subprocurador é normal

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.