Em nota, Sarney confirma transferência de sobrinha da esposa

Texto diz que outros atos secretos, incluindo o da contratação de seu neto, não foram de autoria do senador

Rosana de Cassia, da Agência Estado,

19 de junho de 2009 | 14h40

Em nota divulgada nesta sexta-feira, 19, a Secretaria de Imprensa da Presidência do Senado afirma que das denúncias de utilização de atos secretos para nomeação parentes, o presidente da Casa, José Sarney, confirma que pediu a transferência da sobrinha de sua esposa, Vera Portela Macieira Borges, que já era funcionária pública federal, para trabalhar no gabinete do senador Delcídio Amaral "em ato publicado".

 

Veja também:

som ÁUDIO: Sarney fala sobre mudanças moralizadoras

especialAs medidas apresentadas para combater a crise no Senado

documento Leia a íntegra da defesa do presidente do Senado

mais imagens GALERIA DE FOTOS: Sarney discursa no Senado

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

especialEntenda o escândalo dos cargos e benesses do Senado

linkSenado tinha atos 'top secret' que nem saíam da gaveta

 

As demais contratações, de acordo com a nota, "alguns até desconhecidos do senador", não foram a pedido dele. A nota não faz referência, mas entre essas contratações, está a do neto de Sarney, João Fernando, que trabalhou no gabinete do senador Epitácio Cafeteira (PTB-MA).

 

A nota acrescenta que, conforme declaração do presidente do Senado, em discurso nesta semana em plenário, cada gabinete de senador e liderança de partido, tem autonomia para nomear funcionários.

 

Veja a íntegra da nota:

 

"A respeito das matérias publicadas na mídia nos últimos dias tendo em conta que o Presidente do Senado teria empregado 'por ato secreto' parentes, informamos que, dos nomes citados, apenas a sobrinha de sua esposa, Vera Portela Macieira Borges, que já é funcionária pública federal, foi colocada à disposição do gabinete do senador Delcídio Amaral a pedido do senador José Sarney, em ato publicado.

 

Quanto aos outros nomes citados, alguns até desconhecidos do senador, nenhum deles foi nomeado ou pedida a sua nomeação pelo presidente José Sarney para qualquer cargo do Senado Federal.

 

Como reafirmou o presidente em discurso no plenário esta semana, cada gabinete de senador e cada liderança de partido tem autonomia para nomear funcionários, atos esses que não passam pela crivo do Presidente da Casa. Esclarecemos também que nenhuma dessas nomeações foi feita na atual gestão.

 

SECRETARIA DE IMPRENSA DA PRESIDÊNCIA DO SENADO FEDERAL

19 DE JUNHO DE 2009"

Tudo o que sabemos sobre:
José SarneyAtos SecretosSenado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.