Wilson Dias|Agência Brasil
Wilson Dias|Agência Brasil

Em nota, Renan diz que não é réu nem afetado por entendimento do STF

Presidente do Senado divulga nota após julgamento no Supremo ser interrompido com manifestação da maioria dos ministros de que linha sucessória da Presidência não aceita quem responde a ação penal

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

03 de novembro de 2016 | 17h53

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), divulgou uma nota nesta quinta-feira, 3,  em resposta ao julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) de recurso da Rede sobre a linha sucessória da Presidência da República. O STF formou maioria para determinar que réus não possam fazer parte dessa linha. Mesmo com o pedido de vista do ministro Dias Toffoli, seis ministros já votaram para atender a ação proposta pelo partido. Na interpretação do peemedebista, ele não será afetado pela decisão.

"O presidente do Senado não é réu em qualquer processo judicial e, portanto, não está afetado pela manifestação dos ministros do STF, ainda inconclusa. O presidente responde a inquéritos e reitera que todos são por ouvir dizer ou interpretações de delatores. O presidente lembra ainda que todos serão arquivados por absoluta ausência de provas, exatamente como foi arquivado o primeiro inquérito", divulgou Renan por meio de sua assessoria.

Apesar de não ser réu em nenhum processo, Renan responde a 11 inquéritos no Supremo. Caso alguma denúncia seja acolhida, ele pode se tornar réu. Dessa forma, o julgamento desta quinta pode vir a afetá-lo.

O relator, Marco Aurélio Mello, fez um voto rápido a favor da ação da Rede. Acompanharam o relator os ministros Luiz Edson Fachin, Teori Zavascki, Rosa Weber, Luiz Fux e Celso de Mello, que preferiu adiantar seu voto mesmo depois do pedido de vista. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.