Em nota, PSDB oficializa opção pela cassação de Renan

Partido justifica decisão de que votará 'pelo retorno do respeito da sociedade ao Senado e ao Congresso

Nélia Marquez, do Estadão,

11 Setembro 2007 | 17h14

O PSDB decidiu oficializar a sua decisão de fechar questão em favor da cassação do mandato do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), em uma nota endereçada "À Sociedade Brasileira".   Na nota, o partido justifica a decisão com o argumento de que votará "pelo retorno do respeito da sociedade ao Senado e ao Congresso Nacional". O PSDB também destaca que "em nenhum momento deste processo agiu açodadamente", e que a decisão de fechar questão em favor da cassação de Renan foi tomada "após longa maturação".   O PSDB tem 13 votos no Senado. O único senador liberado pela direção partidária para votar como quiser no julgamento de Renan foi João Tenório, de Alagoas.   Veja a íntegra da nota do PSDB:   À SOCIEDADE BRASILEIRA   Os senadores do PSDB, reunidos com a Comissão Executiva Nacional do Partido e com os líderes tucanos na Câmara Federal, decidiram fechar questão a favor do relatório dos senadores Marisa Serrano e Renato Casagrande e, portanto, pela cassação do mandato do senador Renan Calheiros. O PSDB, que em nenhum momento deste processo agiu açodadamente, chegou a essa decisão após longa maturação. De nenhuma forma, prejulgou ou negou ao acusado o direito à mais ampla defesa, garantia fundamental da Democracia. Pelo contrário, debruçou-se sobre as denúncias, analisando criteriosamente os fatos e as provas trazidas a público.   Inicialmente, optou por propor ao senador Renan Calheiros que se afastasse da Presidência da casa, como forma de conferir transparência e imparcialidade às investigações. Nossos passos seguintes foram a obstrução no Plenário, ao lado dos Democratas, em protesto contra a presença do senador à frente da Mesa Diretora. Finalmente, apoiamos o relatório Marisa Serrano /Renato Casagrande, que se traduz na grave e necessária decisão agora anunciada.   O PSDB votará a favor da instituição. A favor do Parlamento. Pelo retorno do respeito da sociedade ao Senado e ao Congresso Nacional.   Ao longo de todo esse processo, o PSDB sempre caminhou com segurança e bom senso. Não recuou e não faltou ao Brasil.   Não faltará ao povo brasileiro.   Brasília, 11 de setembro de 2007. Comissão Executiva Nacional do PSDB

Mais conteúdo sobre:
RenanConselho de Ética

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.