Em nota, PSDB diz que plano habitacional é 'pactoide'

O PSDB criticou o programa habitacional "Minha Casa, Minha Vida", lançado hoje pelo governo federal. Em nota assinada pelo presidente nacional do partido, senador Sérgio Guerra (PE), o PSDB classificou o novo programa como "''pactoide'' habitacional". No texto, o PSDB contesta a informação do governo de que o déficit habitacional hoje é de 7,2 milhões de moradias. Com base em dados da Fundação João Pinheiro, o PSDB sustenta que o déficit habitacional é hoje de 7,9 milhões de moradias, sendo que 90,7% do total está concentrado na faixa de renda de até três salários mínimos. "Esse tipo de pacote não pode ser apenas para momentos de crise", afirma Sérgio Guerra, conforme a nota.

NÉLIA MARQUEZ, Agencia Estado

25 de março de 2009 | 17h12

O PSDB argumenta que, "assim como arquitetos, urbanistas, ambientalistas e até empresários da construção", avalia o pacote, adotado "às pressas e sem estratégias definidas", como mais um plano de caráter emergencial com toque de marketing, segundo a nota. O partido alega ainda, na nota, que o novo programa "atropela" o Plano Nacional de Habitação (PlanHab), do próprio governo e lançado em 2007. "É muito estranho que a focalização do programa abandone o principal problema que é a moradia de favela, cuja resolução é até mais barata, para proporcionar recursos a classes de renda maior, já atendidas pelo sistema de financiamento existente", disse Guerra.

Tudo o que sabemos sobre:
pacotehabitaçãoPSBD

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.