André Duseck|Estadão
André Duseck|Estadão

Em nota, Presidência confirma jantar, mas não cita versão de caixa 2

Secretaria de Comunicação diz que depoimento de Marcelo Odebrecht reitera o que presidente 'vem dizendo há meses'

André Ítalo Rocha, O Estado de S.Paulo

02 Março 2017 | 11h48

BRASÍLIA - A Secretaria de Comunicação da Presidência da República afirmou nesta quinta-feira, 2, por meio de nota, que o depoimento do empresário Marcelo Odebrecht ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou "aquilo que o presidente Michel Temer vem dizendo há meses". "Houve o jantar (entre Temer e o empresário), mas não falaram de valores durante o encontro e a empresa deu auxílio financeiro a campanhas do PMDB", diz o texto.

O comunicado ressalta ainda que o PMDB, partido do presidente, registrou o recebimento de R$ 11,3 milhões em doações da Odebrecht para campanhas de candidatos do partido e que o montante foi declarado regularmente ao TSE.

Ao tribunal, Marcelo confirmou ter se encontrado com Temer durante tratativas para a campanha eleitoral de 2014, mas negou ter acertado com o peemedebista um valor para a doação. Ele informou que não houve um pedido direto pelo então vice-presidente da República para a doação de R$ 10 milhões ao PMDB.

Segundo relatos, Marcelo afirmou que o valor já estava acertado anteriormente e que o encontro foi apenas protocolar. De acordo com o empresário, as tratativas para a doação foram feitas entre o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o executivo Cláudio Melo Filho.

Ao TSE, o ex-presidente da Odebrecht afirmou também que fez doações via caixa 2 para a chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer na eleição presidencial de 2014. Segundo ele, 4/5 dos recursos doados pela empreiteira foram feitos via caixa 2. O Planalto não se pronunciou sobre esta declaração.

Agenda. Temer se reúne nesta quinta-feira com a advogada-geral da União, Grace Mendonça, conforme informou a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto. A reunião começou às 10h40. Antes, a agenda do presidente previa apenas despachos internos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.