Em nota, PMDB diz que sempre arrecadou recursos legalmente

Caciques do partido, como Michel Temer (SP), Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR), Valdir Raupp (RO) e José Sarney (AP), foram citados em delação premiada de Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2016 | 18h42

BRASÍLIA - O PMDB divulgou uma nota, nesta quarta-feira, 15, para rebater as acusações do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, envolvendo os cacique do partido. No texto, a legenda alega que "sempre arrecadou recursos seguindo os parâmetros legais". Entre os nomes citados na delação premiada de Machado, ele cita o presidente em exercício Michel Temer (SP), o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), o senador Romero Jucá (RR), o senador Valdir Raupp (RO) e o ex-presidente José Sarney (AP).

"O PMDB sempre arrecadou recursos seguindo os parâmetros legais em vigência no país. Doações de empresas eram permitidas e perfeitamente de acordo com as normas da Justiça Eleitoral nas eleições citadas. Em todos esses anos, após fiscalização e análise acurada do Tribunal Superior Eleitoral, todas as contas do PMDB foram aprovadas não sendo encontrado nenhum indício de irregularidade", diz o texto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.