Em nota, petista nega irregularidades

Na nota divulgada pelo PT, Romênio Pereira confirma conhecer João Carlos de Carvalho, apontado por investigação da Polícia Federal como suposto líder de uma quadrilha que teria desviado recursos públicos. Ele nega, porém ter atuado na intermediação de verbas federais."Conheci o senhor João Carlos de Carvalho há cerca de cinco anos, quando a ele fui apresentado por um prefeito petista. Este conhecimento me possibilitou manter com ele diversos contatos, mas nenhum deles para intermediar liberação de emendas ou de quaisquer outras verbas públicas", disse o secretário de Relações Institucionais do PT. Romênio disse ainda que não tem informações oficiais sobre a investigação de que é alvo."Para melhor conhecer o inteiro teor daquilo que me acusam e poder exercer com tranqüilidade meu pleno direito de defesa, estou requisitando uma licença de 60 dias de minhas funções na Executiva Nacional do PT, na expectativa de que as investigações se concluam rapidamente e demonstrem a absoluta falta de procedência das acusações."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.