Em nota oficial, PV nega falta de democracia interna

Partido argumenta que fez diversas concessões à ex-senadora quando ela foi candidata à Presidência e vê 'primeira crise de crescimento'

Gustavo Uribe, da Agência Estado

07 de julho de 2011 | 18h37

A Executiva Nacional do PV divulgou há pouco nota à imprensa na qual reconhece que a sigla passa pela sua primeira "grande crise de crescimento" e lamenta o que chama de "falsa polêmica artificialmente inflada" sobre a falta de democracia interna no partido. "Nós consideramos que estamos passando por nossa primeira grande crise de crescimento", ressaltou. "O PV e suas lutas, entretanto, são maiores do que qualquer pessoa. Nós temos certeza de que ultrapassaremos os problemas atuais e sairemos fortalecidos desse processo", acrescentou.

 

A ex-senadora Marina Silva, candidata do PV à sucessão presidencial em 2010, anunciou nesta quarta-feira, 6, a sua saída da legenda, após um longo processo de desgaste com o presidente nacional do PV, José Luiz Penna. Uma das críticas feitas pelos aliados da ex-senadora é a ausência de eleições diretas para a escolha da direção da agremiação. "A transformação dos partidos políticos, como toda construção social, necessita ser conduzida de maneira democrática e responsável. Os processos nesse sentido devem ter como base a tolerância, a persistência, a paciência e a humildade", destaca a Executiva Nacional do PV.

 

Na nota, a direção da sigla lembra que, para receber a ex-senadora, "sem quaisquer freios", teve de promover mudanças em algumas posições partidárias. "Com generosidade e respeito às diferenças, para receber Marina Silva sem quaisquer freios, estabelecemos a cláusula de consciência, que permite que filiados explicitem suas posições pessoais em relação a itens do programa partidário em face de convicções religiosas", disse. "Reconhecendo desde o início a relevância política de Marina, foi alterado, também, o número de membros da Executiva do partido, de maneira a abrir espaço a vozes diretamente ligadas à futura candidata."

 

A Executiva Nacional do PV ressalta ainda que, durante as eleições de 2010, a legenda e a sua candidata "fizeram história". "A campanha que levou a causa verde para um número de brasileiros, que nem nós no princípio esperávamos, marcou-se pela sintonia perfeita entre o partido político e sua candidata", destacou. "O PV e sua candidata fizeram nascer nos corações e mentes de milhões de brasileiros a ideia de uma terceira via possível."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.