Em nota, neto de Sarney nega favorecimento

O neto do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), José Adriano Cordeiro Sarney divulgou nota hoje negando que tenha recebido favorecimentos para atuar como operador de crédito consignado para funcionários da Casa, em resposta à denúncia da manchete de hoje do jornal O Estado de S.Paulo.

ROSANA DE CASSIA, Agencia Estado

25 de junho de 2009 | 14h25

Ele nega também que a empresa responsável pela operação, a Sarcris, da qual é sócio, seja fantasma. Segundo José Adriano, a empresa já contou com 15 empregados "com carteira assinada", mas por causa da crise e da consequente retração do crédito no Brasil, foi obrigada a reduzir suas atividades e rescindir o contrato de aluguel.

José Adriano confirma que foi funcionário do HSBC e que nessa condição fez uma parceria com o banco para cuidar de convênios que a instituição bancária mantinha desde 1995 com instituições públicas e empresas privadas, inclusive o Senado Federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.