Em nota, ministros defendem Gleisi Hoffmann das afirmações de Vanucchi

Para Carvalho e Rosário, há uma 'política unitária' no governo sobre questão indígena

Tânia Monteiro , Agência Estado

14 Junho 2013 | 21h33

Em nota oficial, os ministros da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho e dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, condenaram as declarações do ex-ministro do governo Lula, Paulo Vanucchi, que disse que a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, estaria "visivelmente alinhada" com os fazendeiros, sugerindo que a postura adotada por ela é contrária à defesa dos índios.

Os dois ministros afirmaram que há uma "política unitária" no governo em relação à questão indígena, "resultado da convergência de diferentes pontos de vista, sob a direção da presidenta Dilma Rousseff".

Já a ministra Gleisi considerou "irresponsável" a declaração de Vanucchi, justificando que ele não deveria fazer tais comentários porque "não tinha informação sobre os fatos". Na opinião da ministra, "se (Vanucchi) continuar com esta prática, prejudicará o Brasil".

Paulo Vanucchi, ex-ministro dos Direitos Humanos de Lula, foi eleito para a Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA), com apoio do Palácio do Planalto e dos ministros de Dilma.

Maria do Rosário e Gilberto Carvalho, ao defenderem a ministra Gleisi, em nota, classificaram ainda como "inoportunas e desprovidas de fundamento na realidade dos fatos as declarações do ex-ministro, que atribuem à ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, posições divergentes do conjunto do Governo".

Em seguida, no comunicado, os ministros "ratificam que a política indigenista do Governo Federal é compartilhada por todos os ministros que se relacionam com o tema e tem como foco principal a efetivação dos direitos dos povos indígenas, compatibilizando-os com os objetivos fundamentais do desenvolvimento e da convivência democrática".

Vanucchi lembrou que Gleisi Hoffmann é do Paraná, "região onde essa agricultura, a agroindústria, é muito desenvolvida e os fazendeiros são muito fortes". O ex-ministro sugere que Gleisi estaria tendo este discurso porque deseja apoio dos fazendeiros, já que é "provável candidata a governadora do Paraná no ano que vem". Na opinião de Vannuchi, os ministros Gilberto Carvalho e Maria do Rosário estão "espremidos" dentro do governo e não poderiam emitir suas opiniões.

A polêmica começou depois de a ministra Gleisi ter defendido que outros órgãos do governo federal, além da Fundação Nacional do Índio (Funai), participem do processo de demarcação de terras indígenas. Atualmente, o decreto que trata do tema diz que a Funai pode solicitar ajuda de outros órgãos públicos, mas o governo quer deixar isso mais claro. A decisão final da demarcação é da Presidência da República. As mudanças no texto deverão ser aprovadas até o fim do mês.

Mais conteúdo sobre:
agricultores protesto Gleisi defesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.