Em nota, grupo tenta acalmar clientes

O Banco Opportunity enviou comunicado ontem para acalmar seus clientes, após decisão judicial que seqüestrou R$ 545,79 milhões em fundos transferidos para o BNY Mellon Serviços Financeiros, administradora de recursos sediada no mesmo prédio do grupo, no Rio.A operação foi rastreada pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), já que titulares dos fundos são suspeitos de lavagem de dinheiro - entre eles Daniel Dantas, sócio-fundador do grupo, sua mulher, Maria Alice Dantas, sua irmã Verônica, o diretor-presidente do banco, Dório Ferman, e Norberto Aguiar Thomaz, considerado pela Polícia Federal homem de confiança do banqueiro. Representantes da Mellon DTVM não podem transferir ou liquidar os valores.Em nota, o banco nega qualquer determinação judicial no sentido de bloquear as aplicações de seus clientes - apenas as de "alguns sócios e diretores" - e avisa que tomará providências para reverter a decisão do procurador. "A transferência dos serviços de administração dos fundos de investimento para o BNY Mellon Serviços Financeiros consiste somente na mudança do responsável pelas atividades de processamento e controle das carteiras, escrituração da emissão e resgate de contas e contratação dos serviços de tesouraria e custódia dos fundos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.