Em nota, Celso de Mello pede 'obediência irrestrita' à Constituição

Brasília - Decano do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Celso de Mello divulgou, nesta quinta-feira (18), uma nota à imprensa em que comenta a atual conjuntura política brasileira. Para Celso de Mello, "mais do que nunca", os cidadãos brasileiros, as instituições nacionais e os membros integrantes dos Poderes do Estado devem prestar "obediência irrestrita à Constituição e às leis da República".

Rafael Moraes Moura e Breno Pires, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2017 | 16h44

"Somos todos servos da lei para que realmente possamos ser livres", afirmou o ministro.

Confira, abaixo, a íntegra da nota divulgada por Celso de Mello.

"Mais do que nunca, neste particular momento em que o Brasil situa-se entre o seu passado e o seu futuro, os cidadãos deste país, as instituições nacionais e os membros integrantes dos Poderes do Estado devem prestar obediência irrestrita à Constituição e às leis da República como condição de preservação de nossas liberdades fundamentais e de proteção a nossos direitos! Somos todos servos da lei para que realmente possamos ser livres, como já advertia Cícero no século I a.C., e, também, para que, com esse gesto de respeito solidário aos princípios de nossa lei maior, sejamos verdadeiramente capazes de preservar os fundamentos e a integridade dos valores que constituem o sopro inspirador da República e a razão legitimadora do Estado Democrático de Direito!"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.