AGU diz que declarações de Osório são 'total desconhecimento das rotinas'

Ex-chefe da Advocacia-Geral da União atribuiu sua exoneração à suposta insatisfação com medidas tomadas contra investigados na Lava Jato

O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2016 | 15h19

As declarações do ex-chefe da Advocacia-Geral da União (AGU), Fábio Medina Osório, de que o Planalto estaria tentando "abafar" a Operação Lava Jato, "atestam o total desconhecimento das rotinas e procedimentos internos da instituição", segundo nota enviada neste sábado, 10, pela assessoria do órgão. O texto destaca que a defesa do erário e o combate à corrupção "é e continuará sendo sua principal missão".

"As atividades institucionais continuarão pautadas pelos mais elevados princípios constitucionais que norteiam a Administração Pública", diz a nota, já sob condução da ministra Grace Mendonça. 

Osório foi demitido do cargo nesta sexta-feira, 9, e atribuiu a exoneração à suposta insatisfação do governo com medidas tomadas pela AGU contra políticos investigados na Lava Jato, incluindo parlamentares aliados do presidente Michel Temer. Sua exoneração foi definida horas depois de Medina cobrar de sua equipe agilidade nas providências para ajuizar ações de improbidade administrativa contra responsáveis por desvios na Petrobrás. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.