Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Em missa, cardeal-arcebispo solta nota contra PRB

O cardeal Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, voltou a atacar neste domingo (16) o presidente do PRB e coordenador da campanha de Celso Russomanno, Marcos Pereira, bispo licenciado da Igreja Universal. Em nota lida na tradicional missa das 11h, na Catedral da Sé, o cardeal acusou "o chefe da campanha de um candidato à Prefeitura de São Paulo" de ter "ofendido e desprezado" os católicos de todo o Brasil.

ROLDÃO ARRUDA, Agência Estado

17 de setembro de 2012 | 09h53

Dessa vez, é o próprio d. Odilo quem assina o texto "Política, com ofensas à Igreja, não!", também publicado no site da Arquidiocese de São Paulo. Na quinta-feira, uma "nota de repúdio" foi divulgada pela Arquidiocese acusando Pereira de "fomentar a discórdia" em texto que o presidente do PRB postou em seu blog, em maio de 2011, e circulou recentemente pelas redes sociais. Pereira escreveu que a Igreja Católica teria participação na iniciativa do Ministério da Educação de distribuir um material de combate à homofobia nas escolas que foi chamado de "kit gay" por entidades contrárias à medida. Por ordem do Palácio do Planalto, a distribuição foi suspensa.

A nota de d. Odilo foi lida pouco antes do fim da missa deste domingo. O cardeal interrompeu a celebração, pediu aos participantes que se sentassem e explicou que precisava dizer uma palavra de esclarecimento sobre um "ataque, que apareceu no contexto eleitoral, contra a Igreja Católica". Em seguida, solicitou ao monsenhor Walter Caldeira, cura da catedral, que lesse o texto.

"Muito nos entristeceu, no contexto da propaganda eleitoral partidária, ver a Igreja Católica Apostólica Romana atacada e injuriada, de maneira injustificada e gratuita, justamente num artigo do chefe da campanha de um candidato à Prefeitura de São Paulo", escreveu d. Odilo, que convidou os cinco candidatos mais bem colocados nas pesquisas para um "colóquio com o clero e os religiosos".

O cardeal também defendeu a nota divulgada na semana passada. "A Arquidiocese não aceita a afirmação de que o fato foi trazido à tona por ela mesma, ou por um ?falso blogueiro?, uma vez que nem o próprio autor negou a autoria do escrito, que se encontra atualmente no seu blog, e também nos ?sites? relacionados com o mesmo partido. Portanto, o artigo já estava sendo usado na campanha eleitoral, antes da manifestação da Arquidiocese."

D. Odilo encerrou a missa abençoando os presentes e manifestando o desejo de que a campanha transcorra "na santa paz" e que a cidade tenha "progresso social". A leitura foi transmitida ao vivo pela Rádio Nove de Julho, da Arquidiocese, e o texto será publicado pelo semanário O São Paulo.

Procurado ontem, Pereira disse que considera o assunto encerrado. "Não vou alimentar um assunto que não acrescenta nada à democracia. Para mim, o assunto está encerrado. Coloquei um ponto final", afirmou. Na sexta-feira, em resposta à nota da Arquidiocese, Pereira disse que o texto foi escrito em 2011 "sem qualquer conotação política ou eleitoral" e lamentava o uso "indevido" às vésperas da eleição. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012SPcardeal-arcebispo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.