Em mensagem de Natal, comandante do Exército prevê agravamento da crise em 2017

General Eduardo Villas Bôas fez discurso de três minutos em que afirma que reflexos negativos serão vistos 'no nosso orçamento e nos nossos salários'

Isabela Bomfim, O Estado de S.Paulo

23 Dezembro 2016 | 21h44

BRASÍLIA - O comandante do Exércio Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas, divulgou uma mensagem de fim de ano em que afirma que o País passa por uma crise. Em vídeo, ele prevê o agravamento das dificuldades em 2017.

"Vislumbro para o ano que se aproxima o agravamento das dificuldades que assolam o País, com reflexo negativo no nosso orçamento e nos nossos salários", afirma o comandante no discurso com pouco mais de três minutos, que foi publicado no site oficial do Exército nessa quinta-feira, 22. 

O comandante afirma, entretanto, que essa visão não abala sua confiança e certeza de que o Exército não se afastará "um milímetro" de sua "trajetória retilínea de serviços à nação brasileira". 

Villas Bôas afirmou que 2016 foi um ano de persistente crise política, econômica e sobretudo ética, mas disse ver com satisfação a presença efetiva e entusiasmada de seus comandados em todo o País. O general também exaltou o respeito à hierarquia. 

Intervenção militar. Em entrevista ao Estado, no início de dezembro, Villas Bôas minimizou qualquer possibilidade de intervenção militar no País. Ele disse que, devido ao caos político, "malucos"e "tresloucados" pedem a intervenção, mas que há "chance zero" de setores das Forças Armadas se empenharem na volta dos militares ao poder. 

Mais conteúdo sobre:
Forças Armadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.