Dida Sampaio/Estadão - 05.01.2015
Dida Sampaio/Estadão - 05.01.2015

Em meio à discussão ministerial, Planalto tenta reaproximação com PSB

Dilma se reúne com governadores do partido nesta quarta, mas presidente da sigla nega possibilidade de ocupar pasta

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

29 de setembro de 2015 | 22h38

BRASÍLIA - Em meio à discussão da reforma ministerial, a presidente Dilma Rousseff tenta uma reaproximação com o PSB. Além de escalar emissários para procurar dirigentes da sigla, ela própria chamou os três governadores do partido para uma reunião nesta quarta-feira, 30, no Palácio do Planalto.

O encontro com Rodrigo Rollemberg (Distrito Federal), Luciano Coutinho (Paraíba) e Paulo Câmara (Pernambuco) acontece no momento em que parte da cúpula do PSB pressiona o partido a abandonar a postura de independência e partir para a oposição. Os três governadores, porém, se mostram mais reticentes a essa ideia e têm frequentemente se manifestado contra a possibilidade de um impeachment da presidente.

Na semana passada, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, procurou o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, para uma conversa. Segundo Siqueira, Cardozo falou da vontade do governo de retomar a aliança com o partido. Os dois, porém, negam que tenham tratado da possibilidade de o PSB vir a ocupar um ministério após a reforma.

“Não há a menor possibilidade de isso acontecer”, diz Siqueira. Segundo ele, no ano passado o partido assinou uma resolução proibindo qualquer filiado de assumir um posto na gestão petista.

Apesar de não admitir que o partido volte a fazer parte da base aliada, o presidente do PSB diz que a sigla pode vir a ajudar o governo caso a presidente apresente uma proposta para tirar o País da crise.

Tudo o que sabemos sobre:
reforma ministerialDilmaPSB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.