Divulgação
Divulgação

Em meio à crise no governo, Temer não tem compromissos oficiais nesta sexta

Os ministros Geddel Vieira Lima e Eliseu Padilha, envolvidos diretamente na turbulência política, estão fora de Brasília

Carla Araújo, O Estado de S. Paulo

25 de novembro de 2016 | 09h42

BRASÍLIA - Em meio à crise por conta do caso envolvendo o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero e o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, o presidente Michel Temer não tem compromissos oficiais na agenda até o momento. Constam apenas despachos internos. Geddel já está na Bahia desde quarta-feira à noite e o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) também já foi para Porto Alegre.

Ontem, 24, a crise ganhou mais um episódio e Temer fez uma reunião de emergência para tentar encontrar formas de reagir às acusações de Calero à Polícia Federal de que ele também teria lhe pressionado para liberar o prédio em construção em Salvador, onde o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, comprou um apartamento.

As acusações trouxeram uma nova preocupação ao Planalto principalmente porque teriam chegado informações ao governo de que Calero teria gravado uma segunda audiência com Temer. O temor é agravado pela mobilização da oposição que já começa a pedir o impeachment do peemedebista. A avaliação no governo é que "a crise é grave e subiu para o andar de cima".

Antes de estourar o novo episódio, Temer estudava ir para São Paulo no fim da tarde de hoje e passar o fim de semana na capital paulista onde pretendia participar de alguns eventos. Diante da crise, no entanto, ainda não está confirmada a ida do presidente à capital paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.