Em meio à campanha eleitoral, Dilma abre turnê pela Europa

Candidata do PT à presidência vai à França, Bélgica, Espanha e Portugal em cinco dias para se encontrar com chefes de Estado e de Governo

Andrei Netto e João Domingos, de O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2010 | 17h15

PARIS - Na primeira viagem internacional como candidata à Presidência da República, a petista Dilma Rousseff terá uma agenda de chefe de Estado em quatro países da Europa. Na França, Espanha e Portugal, será aguardada nos aeroportos pelos embaixadores brasileiros, antes de ser recebida ou pelo presidente ou pelo primeiro-ministro, em uma semana na qual os líderes europeus estão abarrotados por assuntos internos.

 

Ao programar uma turnê pela União Europeia em plena campanha, a candidata repete um gesto de campanha realizado pelo então candidato à presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, que passou por países como França e Alemanha. A vigem de Dilma começa hoje, por Paris, onde terá um dia de programação amena. A ex-ministra chegará à capital em um voo comercial da Air France, às 8h25min, e deve seguir para o hotel onde ficará hospedada por dois dias, o Champs Elysées Plaza Paris - cujo preço dos quartos varia, nesta noite, de € 390 a € 890. Seu único compromisso programado é acompanhar a estreia da seleção brasileira de futebol na Copa do Mundo da África, contra a Coreia do Norte, às 15h30 de Brasília (20h30, na capital francesa), na companhia de torcedores do Brasil e de membros de sua delegação.

 

Na quarta-feira, às 10 horas, ela concede entrevista ao jornal francês Le Monde. Às 17 horas, Dilma encontra-se com o presidente francês Nicolas Sarkozy, com o qual deverá tratar da compra dos caças Rafale, fabricados pela empresa Dassault, negociação de cerca de R$ 12 bilhões, começada no governo de Luiz Inácio Lula da Silva e nunca terminada - embora a preferência tenha sempre sido dado aos franceses. Como a compra poderá envolver também submarinos e armamentos, o total poderá ultrapassar os R$ 30 bilhões. Até a noite de ontem, o encontro não havia sido incluído na agenda do chefe de Estado francês. Se de fato for confirmado, terá duração máxima de 30 minutos, já que às 17h30min Sarkozy receberá o patriarca religioso da Antiórquia e do Oriente Médio dos Maronitas, Nasrallah Sfeir.

 

No dia seguinte, quinta-feira, Dilma tomará o trem-bala das 15 horas com destino a Bruxelas. Às 18 horas será recebida pelo presidente da União Europeia, José Manuel Durão Barroso. Em um dia importante para a União Europeia, o encontro precederá a reunião de cúpula do Conselho Europeu, no qual estarão presentes os 27 chefes de Estado e de governo do bloco. Dilma pretende tratar com Barroso da necessidade de se fazer um acordo entre a UE e o Mercosul, cujas negociações foram reabertas no mês passado, em Madri.

 

Na sexta, dia 18, Dilma tomará o avião das 8 horas para Madri. Lá, às 17 horas, terá encontro com o primeiro-ministro espanhol José Maria Zapatero, que tem se mostrado um potencial aliado do Brasil nas questões para a América Latina, principalmente na ajuda humanitária a países atingidos por catástrofes naturais.

 

Ainda na sexta, à noite, Dilma irá para Lisboa. No sábado pela manhã encontra-se com o primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates. No dia seguinte, pela manhã, a candidata embarca de volta para o Brasil, num voo da TAP.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.