Em meio a acusações, Lobão Filho assumirá vaga de senador

Pressionado pela cúpula do DEM, suplente de senador abandona legenda e tenta provar inocência

24 de janeiro de 2008 | 08h31

Acusado de usar laranjas para sonegar impostos, ser sócio oculto de uma empresa de bebidas e fazer venda irregular de uma emissora de TV no interior de Alagoas, o suplente de senador Edison Lobão Filho(MA) disse em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo que assumirá "com certeza" a vaga de senador, antes ocupada por seu pai, Edison Lobão (PMDB-MA), que tomou posse do Ministério de Minas e Energias.   Veja também: Pressionado, Lobão confirma que vai abandonar o DEM   Alegando inocência, Lobão Filho diz que apresentará documentos que comprovem suas afirmações. Nesta quarta-feira, 23, o suplente de senador comunicou ao líder do DEM no Senado, Agripino Maia (RN), que vai abandonar a legenda.   "Será melhor para ele, melhor para o partido", disse Agripino que assume ter pressionado a saída de Lobão Filho. O líder do partido do Senado afirmou ainda que o DEM não vai reclamar o mandato de Edison Lobão Filho no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).   O suplente de senador, segundo informações da família, estava até o início desta semana de férias, nos Estados Unidos. Ele tem prazo de 60 dias para assumir a cadeira e mais 30 dias de prorrogação - desde que justifique motivos para a prorrogação.   (Com Rosa Costa, de O Estado de S. Paulo)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.