Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Em manifestação no Instituto Lula, Rui Falcão diz que oposição tenta 'golpe'

Presidente nacional do PT afirma que Dilma foi eleita democraticamente e que 'oposição deveria buscar vitória nas urnas'; ato em Sâo Paulo protesta contra ataque sofrido pela instituição na semana passada

Ana Fernandes e Ricardo Galhardo, O Estado de S. Paulo

07 de agosto de 2015 | 12h38

SÃO PAULO - O presidente nacional do PT, Rui Falcão, disse nesta sexta-feira, em São Paulo, que os pedidos de novas eleições são um "problema do PSDB". "Nós temos uma presidenta democraticamente eleita. Eleição, agora, só em 2018. A oposição deveria buscar nas urnas uma vitória em vez de tentar um golpe de mão para afastar a presidenta", disse ao Broadcast Político.

Falcão chegou há pouco à manifestação em solidariedade ao Instituto Lula organizada pelo diretório municipal do partido. Além dele, estão presentes deputados e vereadores da legenda, diretores do instituto e dezenas de manifestantes. Há faixas pedindo "liberdade" e "democracia" e de entidades de sindicatos, como as Centrais Única dos Trabalhadores (CUT) e dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB). 

Até o meio-dia, horário marcado para o "abração" ao instituto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não estava no ato. "Estamos protestando contra isso que foi um ataque terrorista ao instituto. A Polícia Federal (PF), que tem como responsabilidade a proteção e escolta dos ex-presidentes, na nossa visão, deve assumir a investigação", disse Falcão. Na semana passada, uma bomba arremessada de um carro explodiu em frente ao prédio do Instituto Lula. Ninguém se feriu. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.