Marcos Correa/PR/AFP
Marcos Correa/PR/AFP

Em live, Bolsonaro diz que deve defender tese do marco temporal em discurso na ONU

Evento está marcado para a próxima terça-feira, 21; de acordo com o presidente será a fala será 'tranquila e objetiva'

Eduardo Gayer e Daniel Galvão, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2021 | 21h40

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 16, que deve defender a tese do marco temporal em seu discurso na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), marcado para a próxima terça-feira. Segundo ele, o veto ao marco temporal “é um perigo para a segurança alimentar do Brasil e do mundo”. A declaração foi feita durante transmissão ao vivo nas redes sociais. “Eu devo dizer algo nessa linha.”

De acordo com Bolsonaro, seu discurso será “tranquilo e objetivo”. É uma tradição o presidente brasileiro ser o responsável pela abertura do evento. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, presente na live de ontem, também irá à ONU.

Supremo. O julgamento do marco temporal no Supremo Tribunal Federal (STF) foi interrompido nesta quarta-feira, 15, por tempo indeterminado, após um pedido de vista do ministro Alexandre de Moraes. Se a tese for ratificada, uma terra só poderá ser demarcada se ficar comprovado que os indígenas ocupavam aquele território na data da promulgação da Constituição, em 5 de outubro de 1988. 

Bolsonaro defende esse entendimento. “Tem gente lá fora pressionando por um novo marco temporal, ou seja, para demarcar mais uma área equivalente aos países de Alemanha e Espanha juntos”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.