Em Lisboa, Lula critica planos de combate ao terrorismo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, em Lisboa, que o combate ao terrorismo e ao narcotráfico passa por uma nova visão de desenvolvimento no mundo. "Não será militarmente que vamos acabar com o terrorismo, nem tampouco com o narcotráfico", afirmou Lula. "Vamos enfrentar isso com muito mais densidade na hora em que a gente atacar o problema crucial que é a pobreza no mundo", disse. Lula fez estas declarações no Palácio de Belém, ao lado do presidente de Portugal, Jorge Sampaio. Na prática, o presidente brasileiro fez uma crítica indireta aos planos de combate ao terrorismo no mundo, mas em nenhum momento citou o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush. Lula disse que tem afirmado em todas as reuniões com chefes de Estado de países ricos que o que os países mais pobres precisam é de uma oportunidade. "Se não houver essa oportunidade nas relações comerciais, na questão científica e tecnológica, realmente fica muito difícil para os países mais pobres crescerem", disse. Ele afirmou ainda que a relação comércio exterior entre Brasil e Portugal está aquém do potencial dos dois países e que pode ser aperfeiçoada. "Para isso temos que fazer o que chamamos de a nossa lição de casa: primeiro, precisamos consolidar o Mercosul e dar a verdadeira dimensão de um bloco hegemônico na América do Sul para facilitar as nossas negociações com a União Européia e com outros possíveis parceiros?.Lula almoça agora com o presidente português, no Palácio de Belém.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.