Em junho de 2009, com saída de Vilaça, Lula poderá indicar mais um ministro

Não é apenas com a vaga do ministro Guilherme Palmeira que o governo contará para fazer arranjos políticos. Em junho de 2009, o ministro Marcos Vilaça deixará o Tribunal de Contas da União (TCU) depois de 20 anos. Sua vaga será preenchida por alguém indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Basta que o escolhido tenha mais de 35 anos e menos de 65, além de "notórios conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos e financeiros ou de administração pública", além de dez anos "de exercício de função ou efetiva atividade profissional".Vilaça foi nomeado para o TCU em 19 de abril de 1988, antes da promulgação da Constituição, pelo então presidente José Sarney (PMDB-AP). É o ministro mais antigo.Apesar dos critérios políticos, o loteamento segue regras constitucionais. Dos nove ministros, seis são indicados pelo Congresso. Os outros três são indicados pelo presidente - um de sua livre escolha e dois do quadro de concursados. Os nomes dos designados pelo presidente precisam passar pelo crivo do Senado. O salário de ministro, hoje, é de R$ 23,2 mil.Em 2007, o TCU analisou 6.272 processos de controle externo. Segundo sua assessoria, a economia com o controle foi de R$ 5,3 bilhões. Neste ano, os ministros já examinaram 5.757 processos, incluindo as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.