Divulgação - 08.08.2012
Divulgação - 08.08.2012

Em horário eleitoral, Lula compara Haddad a Dilma

Ex-presidente diz que população deve confiar no candidato que escolheu para disputar Prefeitura, como fez em 2010 com ex-ministra

Isadora Peron, Bruno Lupion e Marcelo Portela, de O Estado de S.Paulo

22 de agosto de 2012 | 03h05

No primeiro dia do horário eleitoral na televisão, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apareceu em uma inserção pedindo voto ao candidato petista à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, e dizendo para que a população confie nele, assim como confiou nas eleições de 2010, quando escolheu Dilma Rousseff como candidata à Presidência da República.

"Dois anos atrás, eu pedi ao povo brasileiro para votar na Dilma. Pouca gente conhecia ela, mas confiou em mim. Hoje, mais do que nunca, o Brasil sabe que votou na pessoa certa. Com a mesma convicção, eu peço agora ao povo de São Paulo que vote em Fernando Haddad para prefeito", afirma Lula.

O ex-presidente também diz "conhecer bem" Haddad e o define como "o melhor ministro da Educação da história". Haddad ocupou o Ministério da Educação por seis anos e meio, nos governos Lula e Dilma, e, se por um lado costuma ser lembrado pelo sucesso de programas como o ProUni, é constantemente cobrado por falhas ocorridas no Enem, que enfrentou problemas de organização de três anos para cá.

Na inserção de meio minuto, Lula aparece sozinho por 28 segundos, ou 93% do tempo. Nos dois segundos finais, o vídeo mostra um abraço entre o ex-presidente e seu pupilo. Em outra propaganda, que também foi ao ar ontem, Haddad se apresenta ao eleitor de São Paulo.

Outro ex-ministro que fez de Lula seu cabo eleitoral, mostrando que a "lulodependência" não é uma característica exclusiva de Haddad, foi o candidato à Prefeitura de Belo Horizonte, Patrus Ananias (PT). Na TV, o ex-presidente afirma que, "quando quis mudar a política social do País, chamou Patrus". Lula diz ainda que foi junto com ele que criou o Bolsa Família, um dos maiores programas sociais do governo federal, "que é hoje copiado pelo mundo".

As inserções são consideradas os instrumentos mais efetivos do marketing político, pois atingem até a população que "foge" do horário eleitoral fixo, ao se misturar à propaganda comercial, das 8h às 24h, sete dias por semana. Até o dia 4 de outubro, serão exibidos 30 minutos diários de inserções em cada emissora, em spots de 15, 30 ou 60 segundos.

A imagem de Lula também vai ser explorada pelos petistas e outros aliados do governo federal nos programas dos candidatos a prefeito, que começam hoje no rádio e na TV.

Haddad deve ser o narrador de seu primeiro programa, no qual vai apresentar um diagnóstico dos problemas da cidade. Mesmo assim, Lula deve aparecer ao seu lado.

Em Salvador, a campanha de Nelson Pelegrino (PT) postou um vídeo no site do candidato no qual o ex-presidente diz conhecê-lo há mais de 30 anos. As imagens devem ir ao ar nesta quarta-feira, 22.

No Recife, Lula também será a estrela do programa eleitoral gratuito do senador Humberto Costa, que concorre à prefeitura. / COLABORARAM TIAGO DÉCIMO e ANGELA LACERDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.