Em Goiás, TRE proíbe personagem que ridiculariza Perillo

O Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) determinou a suspensão de um quadro do programa eleitoral do PMDB que, num desenho animado chamado "Rei Mandão", ridiculariza o candidato do PSDB, Marconi Perillo. O juiz eleitoral Sebastião Fleury deu a decisão na tarde de sexta-feira, 17. Três dias antes, o juiz Fernando de Castro Mesquita havia negado pedido semelhante.

PEDRO PALAZZO, ESPECIAL PARA O ESTADO, Estadão Conteúdo

18 de outubro de 2014 | 13h05

A defesa de Perillo argumenta que o desenho tenta "incutir no eleitorado ideais e memórias falsas acusando o candidato de ser mentiroso, autoritário, entre outras injúrias e calúnias". O juiz Fleury entende que "a publicidade questionada não se destina a debater ideias e propostas, como seria recomendável, mas limita-se a atacar pessoalmente" o governador.

A decisão proíbe apenas a veiculação no horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão. A animação ainda pode ser exibida na internet (veja aqui http://youtu.be/f5k_1RePwRY). O foi o assunto mais comentado no Twitter em Goiânia por cinco dias.

A coligação liderada por Perillo tentou por seis vezes tirar do ar a animação em que o personagem rei mandão aparece sentado em um trono, fechado em um castelo que, segundo o narrador da história, "era construído por mentiras".

Em uma das negativas, o juiz Mesquita reitera que, no entendimento dele, não há limitação, e cita o personagem Nerso da Capitinga, representando pelo ator Pedro Bismark, usado para ridicularizar o candidato peemedebista, Iris Rezende.

"Esta Corte Eleitoral, inclusive em processo de minha relatoria, já decidiu no sentido de não haver qualquer impedimento à utilização de personagens caricatos dos candidatos, tais como o ''Nerso da Capitinga'', que chamava o ora representado (Iris) de ''delossauro'' e ''inoperante''", escreve Mesquita. Nesta campanha, Nerso não foi usado na televisão, apenas na internet (veja aqui http://youtu.be/fmGF8l1L3TA).

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesGoiásTREPerillo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.