Em evento do PSL, Alckmin censura gestão Kassab

Geraldo Alckmin, do PSDB, ganhou ontem o esperado reforço de mais um nanico, o PSL (Partido Social Liberal), e aproveitou a convenção do aliado para censurar a gestão de um de seus rivais diretos, o prefeito Gilberto Kassab (DEM). Em pronunciamento para cerca de 250 integrantes do PSL - agremiação sem nenhum representante no Congresso, na Assembléia e na Câmara Municipal - Alckmin criticou o que chamou de precária iluminação das ruas, a falta de vagas nas creches e de leitos nos hospitais da periferia e os ônibus ?que andam a 9 por hora?. Dois deputados federais tucanos - um deles Edson Aparecido, seu coordenador de campanha - testemunharam o discurso do ex-governador. Indagado depois se suas reprovações eram dirigidas a Marta Suplicy (PT), ex-prefeita que almeja retornar ao cargo, e a Kassab, Alckmin evitou citar nomes. ?A nenhum dos dois, é uma constatação dos grandes problemas metropolitanos. Eu tenho uma visão metropolitana. Aqui estão os grandes desafios de qualidade de vida. São Paulo precisa diminuir desigualdades, diminuir distâncias.?Ele praticamente só falou de mazelas da grande metrópole que, pela segunda vez, tenta administrar - em 2000, foi superado por Paulo Maluf (PR) e Marta, ainda no primeiro turno. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.