Joe Skipper/REUTERS
Joe Skipper/REUTERS

Em evento de Eduardo Bolsonaro, Trump Jr diz para brasileiros não aceitarem ‘governos tirânicos’

Principal atração do CPAC Brasil, filho mais velho do ex-presidente americano falou por videoconferência

Vinícius Valfré, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2021 | 13h28

BRASÍLIA – Uma das principais atrações da CPAC Brasil, congresso da direita organizado pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), em Brasília, Donald Trump Jr, filho mais velho do ex-presidente dos Estados Unidos, fez um discurso nesta sábado, 4, contra a China, ataques à gestão de Joe Biden e recomendou que os brasileiros não aceitem "governos tirânicos".

"Não é um campo justo, não é uma luta justa. Tem instituições com trilhões de dólares reprimindo nossas crenças, nossas ideias ao mesmo tempo que estão alimentando essas ideias socialistas. Temos que falar alto, temos que não ter medo de falar contra o futuro desses governos tirânicos que querem nos impor", afirmou ele, por videoconferência. 

No discurso, Trump Jr afirmou que a China tem interesse em trocar Bolsonaro por um presidente socialista e convidou os brasileiros a abrirem mão de candidatos que "oferecem coisas de graça".

"Vocês vão no caminho do socialismo ou permanecem fortemente para a liberdade?", provocou. "As exportações que vão do Brasil para a China são uma 'linha da vida' para a China. Então, se você não acredita que eles não estão fazendo que puderem para ter um governo socialista que eles possam manipular aí, alguém que seja suscetível suas maluquices.... se você não acha que a China tem planos para isso, para seu inimigo no ano que vem, então você não está assistindo nada."

O filho do ex-presidente americano também criticou o governo Biden ao dizer que o atual mandatário age para enfraquecer os Estados Unidos, acabar com avanços conquistados por Trump e para minar a independência e a liberdade do País.

"Estamos assistindo comboios de talibãs voando helicópteros americanos, dirigindo carros americanos. Armamos o inimigo, que vai usar as mesmas armas para reprimir, mulheres, crianças e seus inimigos políticos", afirmou. "O talibã olha para Joe Biden e vê um homem que não consegue subir escadas, que não consegue fazer um discurso inteiro, que não consegue lembrar o nome do seu secretário de Defesa".

Ao final da apresentação de Trump Jr, Eduardo Bolsonaro pediu para que o amigo convidasse o ex-presidente para o evento do próximo ano e disse que "aqui no Brasil as pessoas amam" a família Trump.

O congresso, de dois dias, ocorre às vésperas das manifestações a favor do governo de Jair Bolsonaro. Na sexta-feira, 3, o ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni, abriu o evento e convocou os apoiadores a irem aos atos. Na pauta dos protestos está a prisão de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e o voto impresso.

Tudo o que sabemos sobre:
Eduardo BolsonaroDonald Trump Jr

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.