Em evento de aliado, PT rivaliza com lançamento de Alckmin

A festa que será realizada pelo PDT, em Limeira, ocorrerá simultaneamente ao lançamento da pré-candidatura do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB)

Gustavo Uribe, da Agência Estado

06 Maio 2010 | 14h51

SÃO PAULO - O PDT realiza neste sábado, 8, uma grande festa para selar a aliança com o PT rumo à sucessão ao Palácio dos Bandeirantes. Na cidade de Limeira, a 154 quilômetros da capital paulista, o partido aguarda a presença de mais de 1.500 pessoas. O evento terá a exibição de vídeos institucionais com a história da sigla e deverá contar com discursos do ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, dos Esportes, Orlando Silva, e do senador Aloizio Mercadante, pré-candidato do PT à sucessão em São Paulo. O evento ocorrerá simultaneamente ao lançamento da pré-candidatura do maior adversário do PT nessas eleições, o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), neste sábado, na Capital.

 

 

Antes programado para ocorrer e m São Paulo, o encontro estadual do PDT foi transferido para o interior do Estado "por uma questão de estrutura", explicou o presidente da legenda em São Paulo, deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho."Foi escolhido Limeira para acomodar melhor o grande público", justificou. O partido também instituiu mudanças na agenda do encontro. Por recomendação do PT, o evento não definirá o nome do PDT que deve ocupar o posto de vice na chapa encabeçada por Mercadante.

 

 

Em busca dos apoios do PSB e do PTB, os petistas não pretendem tão cedo bater o martelo sobre a composição da coligação em São Paulo. O partido trabalha nos bastidores para emplacar uma chapa com dois nomes fortes para o Senado Federal e uma figura de peso no posto de vice. No alvo do PT, estão o vereador Gabriel Chalita (PSB), preferido da ex-prefeita Marta Suplicy para ocupar uma das vagas ao Senado, e o senador Romeu Tuma (PTB), que luta por um espaço na coligação tucana para concorrer à Reeleição.

 

 

"A chapa só será fechada em junho, para não atrapalhar a política de alianças", explicou o presidente estadual do PT,Edinho Silva. Até o momento, o PT conta com apoio do PDT, PPL, PR, PRB, PTC, PRD e está próximo de formar uma aliança com o PCdoB. O partido negocia no momento arregimentar os apoios doPTdoB, PRP, PTN e do PSL. Embora mantenha o discurso oficial de que respeita a intenção do PSB de lançar candidato próprio e o desejo do PTB de apoiar o nome de Alckmin em uma aliança branca, as legendas ainda são cobiçadas pelos petistas.

 

 

Festa tucana - Também no sábado, o PSDB promoverá evento de lançamento da pré-candidatura de Alckmin ao governo de São Paulo. A festa será promovida no Centro de Convenções do Expo Center Norte, na capital paulista, e contará com as presenças do presidenciável do PSDB, o ex-governador José Serra (SP), do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), e do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM).

 

 

Essa não é a primeira vez que o PT participa de grandes eventos para contrapor o lançamento de pré-candidatos tucanos. No início de abril, a presidenciável do PT, ex-ministra Dilma Rousseff, fez questão de aportar no município de São Bernardo do Campo (SP), ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia do evento de lançamento da pré-candidatura de Serra ao Palácio do Planalto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.