Em encontro, PT lança Palocci entre pré-candidatos

Sinal vem dois dias após STF arquivar última denúncia criminal; dirigente elogia ''capacidade de unir o partido''

Rodrigo Petry e Ricardo Brandt, O Estadao de S.Paulo

31 de agosto de 2009 | 00h00

Em São Paulo, o PT deu neste final de semana o primeiro passo para confirmar o nome do ex-ministro e deputado Antonio Palocci como candidato ao governo de São Paulo em 2010. Em reunião da executiva estadual, dois dias após ele ter se livrado da última das 21 denúncias criminais que enfrentava no Supremo Tribunal Federal (STF), seu nome foi lançado oficialmente como um dos principais pré-candidatos para a disputa."O nome de Palocci é forte dentro do PT pela capacidade de unir o partido", afirmou o presidente estadual da legenda, Edinho Silva. Apesar de ele não ter confirmado até agora se entrará na disputa, o partido já se movimenta para isso e considera que a candidatura, agora que todas as pendências criminais foram rejeitadas no STF, ganha força e é a que tem mais chances de decolar.Embora o PT sustente que existem outros nomes de peso na disputa, como a ex-prefeita Marta Suplicy, o prefeito de Osasco, Emídio de Souza, o senador Aloizio Mercadante e o ministro da Educação, Fernando Haddad, a opção Palocci é a que mais tem agradado diferentes correntes da legenda.O problema é que, embora tenha se livrado das ações criminais, Palocci ainda é alvo de 10 ações civis, que podem reacender o debate sobre os problemas deixados durante o período em que foi prefeito de Ribeirão Preto (1993-1996 e 2001-2002).Como faltam ainda 11 meses para a data oficial de definição das candidaturas, o partido vai esperar para medir qual a chance de cada um dos cotados. "Deveremos escolher o candidato do partido entre o final de 2009 e início de 2010", explicou Silva, após a reunião de sábado, que tinha como objetivo definir o calendário das eleições 2010 em São Paulo.Na reunião, foi redigido também um documento interno determinando, entre outros pontos, ampliar a ofensiva contra o governo de José Serra (PSDB), "fazendo o confronto de projetos em áreas em que se demonstra má gestão". Anunciou-se, ainda, que será elaborada uma publicação com os principais dados do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em São Paulo.A reunião contou com a presença dos 64 membros da executiva, entre eles o líder da bancada do PT na Assembleia, deputado Rui Falcão.ALIANÇASO presidente estadual do PT afirmou que o partido vem conversando com integrantes de outras legendas para compor uma aliança ampla de apoio para a disputa em São Paulo.Segundo Edinho, o PT já procurou Ciro Gomes (PSB-CE), que ensaiou uma pré-candidatura paulista, mas já olha para a disputa presidencial; pelo presidente estadual do PDT, o deputado Paulo Pereira da Silva; pelo prefeito de Campinas, Dr. Hélio Santos (PDT); e por membros do PC do B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.