Marcos Corrêa/PR
Marcos Corrêa/PR

Em encontro com empresários em SP, Bolsonaro defende desburocratização e empreendedorismo

Presidente voltou a falar da eventual criação, no ano que vem, de um programa intitulado Minha Primeira Empresa

Paula Reverbel, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2020 | 16h56

Em almoço fechado com empresários, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender nesta quarta-feira, dia 25, a desburocratização como medida de estímulo à economia e voltou a falar da eventual criação de um programa intitulado Minha Primeira Empresa, para facilitar o empreendedorismo. O mandatário falou em evento realizado na Sociedade Hípica Paulista, em São Paulo. Ele estava acompanhado dos ministros Paulo Guedes (Economia), que salientou a queda no desemprego registrada em setembro e outubro, e Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura). 

O encontro reuniu os empresários Carlos Gerdau Johannpeter, Bruno Setúbal, Flávio Rocha, Filipe Sabará, e Gelson Merisio, da JBS. Também estavam presentes o sócio do BTG Pactual Cláudio Berquó, o médico Raul Cutait, a Bispa Sônia, da Igreja Renascer, o desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo Ivan Sartori, o vice-presidente da Telefônica, Renato Gasparetto, e o publicitário Sergio Lima, responsável pelo marketing do partido que Bolsonaro tenta criar, o da Aliança Pelo Brasil.

"O presidente falou bastante sobre como resolver a pobreza e atacar os problemas de forma sistêmica. Ele também falou em desburocratização (como forma de aquecer a economia) e mencionou que vai criar no ano que vem o Programa Minha Primeira Empresa, voltado para microempresários", afirmou Sabará ao Estadão. "Ele também falou da necessidade de o Estado não atrapalhar as empresas, sejam elas pequenas, médias ou grandes", acrescentou. Ainda segundo Sabará, Bolsonaro também falou de avanços trazidos pelo Marco do Saneamento, sancionado em julho.

Já o ministro Guedes teria dito que as quedas recentes nos índices de desemprego são fruto de juros baixos e câmbio alto. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que, após crescer entre maio e setembro, o desemprego passou cair. O ministro argumentou, segundo Sabará, que a política fiscal atrelada a juros baixos está levando ao aquecimento da economia. Já Tarcísio teria falado sobre futuras concessões.

"É um mérito muito grande desse governo o câmbio realista", disse Sabará.

O encontro, realizado pelo Grupo Voto, foi patrocinado por Ambipar, RV Ímola Logística, General Motors, VTC Log e Ferrero. Em comunicado à imprensa, o Grupo Voto, da socióloga gaúcha Karim Miskulin, informou que o evento em questão, chamado “Um Brinde à Democracia”, é realizado anualmente. Nesta edição foram homenageados Bolsonaro e o empresário Mário Garnero. Em outras edições, de acordo com a empresa, foram prestadas homenagens aos ex-presidentes como Michel Temer e Fernando Henrique Cardoso, além do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Em maio, o Grupo Voto realizou um evento chamado "Mulheres que Orgulham o Brasil" em que homenageou a primeira-dama, Michelle Bolsonaro; a promotora Gabriela Manssur; a secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, Patrícia Ellen; a diretora geral do PayPal Brasil, Paula Paschoal, e a advogada de Bolsonaro, Karina Kufa.

O comunicado à imprensa afirmou ainda que o evento seguiu protocolos de segurança sanitária em função da pandemia do coronavírus. Bolsonaro deixou o almoço pouco depois das 13h para ir a uma reunião na emissora CNN. Em seguida, ele foi a um encontro com o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.