Em encontro com ACM, Lula pede diálogo com parlamentares

O senador oposicionista Antonio Carlos Magalhães se encontrou nesta quarta-feira, 4, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na conversa, segundo o senador baiano, o presidente explicou em tom amigável que pretende conversar com todos os parlamentares, adversários ou não, sobre matérias que o Congresso precisa aprovar com urgência. Lula teria citado como exemplo a construção de usinas de biodiesel, sobretudo no Nordeste, onde gerariam inúmeros empregos.Durante uma hora e meia, no Palácio do Planalto, a conversa foi repleta de trocas de elogios entre os dois. "Parecia que eu só fazia elogios a ele, e ele a mim", contou o senador, que afirmou que Lula estava "calmo, muito calmo." O oposicionista foi ao Planalto agradecer a "generosa visita" que recebeu do presidente quando esteve internado no Instituto do Coração (Incor), em São Paulo.ACM teria dito ao presidente que alguém, como ele, Lula, ganhou a eleição com uma vantagem de 20 milhões de votos, "não precisa se submeter a ninguém". O senador explicou que estava se referindo às relações de Lula com os partidos políticos. "Porque a força inegável da eleição não foi de partido nenhum, foi dele, inclusive na Bahia. Ele não deve ficar refém de nenhum partido, mas, a cada hora em que tiver dificuldade, evidentemente, vai ficando refém."O senador negou ter tratado sobre a crise do apagão aéreo com o presidente, mas disse que o ambiente da conversa passou a impressão de que a situação está melhorando. "Não parecia ter crise, nem no ar nem na terra nem no mar."Segundo Magalhães, a iniciativa da conversa partiu do presidente Lula quando ele, Magalhães, lhe telefonou para agradecer a visita. O senador disse que, na sexta-feira, 30, recebeu na Bahia um telefonema do Palácio do Planalto informando-lhe que o presidente o aguardava para tomar um café nesta quarta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.